quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

[resenha #10] A Máquina de Contar Histórias, por Maurício Gomyde


Título: A Máquina de Contar Histórias
Autor: Maurício Gomyde
Páginas: 191
Editora: Novo Conceito (selo Novas Páginas)

Sinopse: Na noite em que o escritor best-seller Vinícius Becker lançou "A Máquina de Contar Histórias", o novo romance e seu livro mais aguardado do ano, sua esposa Viviana faleceu sozinha num quarto de hospital. Odiado em casa por tantas ausências para cuidar da carreira literária, ele vê o chão se abrir aos seus pés. Sem o grande amor da sua vida, sem o carinho das filhas, sem amigos... O lugar pelo qual ele tanto lutou revela-se aquele em que nunca desejou estar.
Vinícius teve o mundo nas mãos, e agora, sozinho, precisa se reinventar para reconquistar o amor das filhas e seu espaço no coração da família V.
[...]



A primeira página do livro é marcada por um diálogo que é descrito por completo no final. De início imaginei que fosse relacionado à Viviana, mas não...

Após isso, a história tem início com o lançamento do novo livro de Vinícius Becker. A ovação da platéia formada por jornalistas e blogueiros, as perguntas incessantes (e repetitivas), os holofotes cegantes... Para o autor, nada além do que já esteja acostumado. Com o Sol já ameaçando nascer, ele e seu assessor voltam para o hotel a fim de descansar para pegar o voo naquela mesma tarde. Quando Becker acorda, por volta das onze horas, percebe que o celular está descarregado desde a noite anterior; ele então o põe para carregar e uma onda de desespero o consome...
"De repente, o telefone começou a vibrar sobre a cômoda, emitindo o som rouco. Uma, duas, três vezes. Ele esperou a lista de chamadas não atendidas terminar de ser carregada. Dezenove. Todas vindas do celular de Valentina, a filha mais velha. Chamadas que atravessaram a noite, a madrugada e a manhã, e estacionaram em seu telefone à espera de atenção. [...]"
Vinícius liga para casa e a bomba vem: sua esposa faleceu. E o pior, para terminar de aniquilá-lo: no exato momento em que lançava o seu décimo livro.

Becker pega o primeiro voo para casa e chega tarde demais, como sempre. Sua esposa já havia sido velada e estava sendo sepultada. Ao tentar falar com a filha Valentina, é completamente ignorado. A menina demonstra desprezo e ódio pelo pai; Vida, a mais nova, tem um comportamento contrário e corre para seus braços, onde se aconchega para tentar tirar do peito a saudade da mãe. 

Chegando em casa, o clima de luto predomina por um longo tempo. Meses se passam até que o escritor decide lutar para reconquistar o amor e a confiança das filhas. Ele programa uma viagem para os três com destinos desconhecidos. Valentina, com muito custo e ainda achando que tudo não passa de uma farsa, topa. Porém, o pai impõe uma única regra: nenhum tipo de aparelho eletrônico é permitido. O que não é 100% verdade, pois ele mesmo a burla (o porque não direi hahahaha).

Três destinos, vários dias, um objetivo. A partir daí Vinícius Becker luta incansavelmente para reconquistar a família V. Mil outras coisas acontecem, desde o descobrimento de algo bombástico envolvendo a filha mais velha até trocas de e-mails misteriosos.



Eu, particularmente, me emocionei em algumas partes desse livro e não pude deixar de pensar num "será que existe alguma centelha de 'baseado em fatos reais' aqui?". Não sei, mas algo me diz que sim...

A história em si é cheia de mistérios. As descrições contém uma riqueza tão grande de detalhes que, por diversas vezes, achei que estava presenciando tudo pessoalmente. E o final? Totalmente inimaginável. Não adianta tentar adivinhar ou ler achando que já viu outras histórias assim porque não viu.

Mas... Embora tenha adorado o livro e tenha achado a leitura bem suave e rápida, ele não entrou pra minha lista de favoritos. É bom e eu recomendo, mas nada além disso. Faltou aquela pitada de sei-lá-o-que pra me fazer perder uma noite de sono.




                       

9 comentários:

  1. Oi, Bia! Tudo bem?

    Estou com este livo naminha estante para ler e não vejo a hora de iniciar a leitura.
    Gostei demais de sua resenha. Vejamos se este livro irá me prender a atenção ou faltar "aquela pitada de sei-lá-o-que pra me fazer perder uma noite de sono." (Adorei a frase!!!)

    Beijos!
    http://irmaoslivreiros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahaha obrigada! Foi aquela típica frase "vou escrever do jeito que falo".
      Quando o ler, faça uma resenha. Quero saber a sua opinião.

      Beijos!!

      Excluir
    2. Pode deixar que farei a resenha, sim.

      Beijos!
      http://irmaoslivreiros.blogspot.com.br/

      Excluir
  2. Gostei muito da resenha, do livro, de tudo! Parabéns!
    xoxo
    http://fingereamor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada! Recomendo a leitura, viu? ;)

      Excluir
  3. Gostei muito dessa resenha, principalmente por ser de um autor nacional e por ser de um cara bem legal como o Maurício!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada!
      To tentando me aprofundar um pouco mais na literatura nacional e, até agora, estou adorando. O livro é ótimo! Se ainda não leu, deveria :3

      Excluir
  4. Adorei sua resenha, tenho o livro e me apaixonei pela capa. estou ainda mais animada para ler ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois leia! Assim que o fizer, me diga o que achou ;) faço questão de ler sua resenha!

      Excluir

Obrigada por comentar!